Texto de Alex d´Arte!

Li este texto hoje de manha e gostei…

Achas-te um tipo criativo? Qual?
Ao longo da minha vida cruzei-me, como presumo que a maioria dos leitores, comvariadíssimos tipos de criativos. Dos mais excêntricos, aos mais recatados, dos mais mediáticosaos menos exuberantes, dos mais entusiastas aos menos vibrantes, enfim.No entanto, e apesar das enormes diferenças entre todos, considero que há duascaracterísticas básicas que nos permitem separá-los e agrupá-los em quatro grandes grupos,segundo a axiologia qualidade vs. quantidade.Assim, se colocarmos na linha vertical a quantidade de ideias geradas e na horizontal aqualidade das mesmas, obtemos uma mapa com quatro quadrantes a que correspondem quatrotipos diferentes de criativos.No quadrante inferior esquerdo temos então aqueles indivíduos que produzem poucasideias, de qualidade duvidosa e com fraca cadência. Na verdade, apelidá-los de criativos acaba atépor ser contraditório e por isso decidi chamar-lhes não-criativos, não por qualquer menosprezoou falta de consideração para com estes, mas antes por respeito aos restantes.No quadrante imediatamente ao lado, encontramos aqueles a que chamo os criativosfaísca. São indivíduos dotados de uma capacidade extraordinária, socialmente valorizada eamplamente insuflada nas lides publicitárias, que conseguem, com uma facilidade incrível,geraros famosos rasgos criativos. São pessoas que chegam, aparentemente sem esforço ou grandepreparação, a soluções brilhantes, de forma rápida, inesperada e surpreendente. São o tipo típicode criativo que funciona a espasmos, por impulso, de forma não linear e pouco previsível. Noentanto, a maioria dos criativos que conheci com este perfil tinham um problema: não eramconsequentes. Isto é, o fogacho inicial, arrojado (e muitoinvejado),normalmenteesgota-se em simesmo. Ou seja, a ignição está lá, a fagulha, a incandescência do brilho, que chega a ofuscar pelasurpresa, rapidez e originalidade, mas geralmente não continua nesse registo, nessa linha, nessemesmo raciocínio.No quadrante oposto, no lado superior esquerdo, temos o contrário: o criativo diesel.Normalmente menos efusivo, porventura menos espalhafatoso e sem grandes sacadasrepentinas, mas com uma enorme vantagem: é tradicionalmente capaz de alimentar durantemuito mais tempo e de muito mais formas as ideias que gera e os conceitos que inventa ou quetrabalha. Menos reconhecido e menos valorizado, é, no entanto, de enorme utilidade paraqualquer empresa de comunicação, ao ter a capacidade de estender a massa com muitas mais soluções e variadas maneiras. E isso, nos dias que correm, é fundamental.Finalmente, os illuminatti. No quadrante mais-mais, isto é: muitas ideias, de muitaqualidade e em muita quantidade, encontramos o tipo desejado, ambicionado por todos, o
standard 
do mercado. São a referência, o ideal, o foco de todas as atenções, o farol que serve deguia e inspiração a todos os outros. Infelizmente, há poucos. Excluindo esta meia dúzia de eleitos,que por razões óbvias não têm comparação, e os do quadrante oposto, que claramente estão nosítio errado, apenas ainda não o perceberam, detenho-me a pensar nas mais-valias de cada umdos outros dois tipos e concluo: não há melhores nem piores. São ambos necessários. E que bomé quando se consegue juntar numa equipa estes dois mundos.Felizmente, tenho a oportunidade de lidar, trabalhar, ensinar e formar muitos dosfuturos criativos de Portugal, e pergunto-me muitas vezes, mesmo sem lhes perguntar: de quetipo é este tipo? Isso ajuda-me a seleccionar, organizar, juntar, enquadrar, perceber e a lidar comos diferentes tipos de diferentes maneiras. Afinal, cada qual é como cada qual, apesar de todosserem bons tipos. E o estimado leitor, de que tipo é?
 Alex d´Arte é Professor no IADE
Podíamos discutir uma noite inteira sobre este quadrante: a criatividade é daqueles assuntos gostoso de falar, muito mais do qeu o chato do assunto sócrates e pepino.
Gostei dos nomes que o Alex deu, eu internamente dou outros nomes que inventei e acho que na nossa equipa tem outras categorias:
por exemplo: o gajo que voce diz que tem muitas ideias quantidade e poucas de qualidade, eu chamo o explosão! o gajo que sempre começa, o que desbloqueia, que solta qualquer merda e traz muitas ideias ao brainstorming…é raríssimo achar este tipo de criativo!
Os que tem poucas ideias e boas, eu pessoalmente não gosto desta pessoa, normalmente o ego é muito la em cima, é daqueles gajos que ganhou 1 cannes ou 1 ouro na vida ou teve uma ideia que teve 1milhao de views e vive com isso pro resto da vida. acho esta parte do quadrado o pior, normalmente são os mais caros para se contratar e os que mais reclamam…são os estrelas!
E tem os gajos bons, que já foram os explosão e agora ganharam mais tempo de mercado…trazem muitas ideia e muitas delas são boas. este tipo se educa e interessa muito de quem foi os ex directores criativos e o percurso que teve….uma pessoa como essa por ter muitas ideias tem poucos víciso, porque se não gostam daquela ideia é logo pensar em outra. Normalmente esta pessoa perde a qualidade de dar a primeira ideia, mas depois do explosão a lançar….vem aí mais umas 50 ideias boas em cima desta.
valeu alex!
  1. opiniões…
    eu gosto mais de batatas fritas com sabor a espinafre😀

    • fred
    • 31 de Maio, 2011

    que serei eu…?

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: